sexta-feira, 8 de outubro de 2010 | By: Vivian Mont'Alverne

Do outro lado da linha

Ei, você pode me ouvir? Sei que sim...
- Queria te pedir desculpas.
Umas pontadas no meu coração vieram, acompanhando as palavras. Sentia o meu estômago congelar. Meus lábios já não tinham mais cor.
- Você não deve estar entendendo o porquê disso, não é? Bem sei. Mas preciso muito falar o que está entalado na minha garganta, sufocando-me. Não durmo direito há umas semanas.
- Lembra daquele dia no qual nos esbarramos na biblioteca da Rua 7? Foi proposital. Eu te vi de longe... Você estava lindo, com os cabelos despenteados e aquela camisa branca que adoro. Seu olhar era pacato e atento aos minuciosos códigos de Direito Penal. Não resisti. Aproximei-me e fiz que não vi... Quando segurou a minha agenda e levantou o rosto, tudo o que mais queria era te dizer a verdade sobre o dia no qual fechei a porta do seu quarto, sem muitas explicações, e sumi. Não vou te pedir que me perdoe, estou ciente que não mereço... Só peço cinco minutos, preciso voltar a respirar.


(...) Vou direto ao ponto...
Eu... Eu... Eu fui covarde, confesso. (Tremia, quase não conseguia segurar o telefone. Meu olhos enchiam-se de lágrimas, mas não podia derramá-las ali, naquele momento)
Sou uma fugitiva. Naquela manhã do dia 5 de agosto, fugi do amor e da felicidade. É... Estava com medo de amar.... Boba sou, não havia mais jeito, já estava contaminada com esse sentimento. Hoje, sofro... Ele corre por minhas veias e artérias, passando pelo meu coração, irrigando o meu cérebro e todos os órgãos. Eu só sinto amor. Eu respiro amor. Eu engulo amor. Eu vejo amor. Eu excreto amor. (e tudo o mais que for possível e impossível) O que é pior... Maior que o amor, só a dor. A dor de saber que a culpa é toda minha, por pura infantilidade e egoísmo... Não sei ao certo... Talvez eu não estivesse preparada, não soube lidar com a situação... Todos aqueles arrepios e calafrios, toda aquela vontade de sentir o teu cheiro, de te abraçar, sentir teu calor, sentir teu corpo junto ao meu... Era tudo novo. Enlouqueci. Fiquei inerte.
(...) A melhor opção ou a única que vi foi fugir... A única ação que uma pessoa despreparada pode ter... Fugir, fugir e fugir... Os dias se passaram e, cada vez mais, tive certeza: Tentar evitar, escapar, não resolveu nada... Pelo contrário, só piorou.
(...) Pois bem, não vou ocupar mais o seu tempo... Se me permite, eu preciso dizer... Eu te amei, eu te amo e vou continuar te amando. Agradeço, pois, hoje, sou uma pessoa corajosa... ou quase isso.

10 bilhetes:

aivilana disse...

Beeem corajosa sim! Haha!
Sou bem o tipo de jogar esse jogo, da sinceridade. Mas as vezes, eu confesso, não vale a pena.

Belo o post e bastante comum acontecer isso com a gente. Grande a dor do arrependimento! :)

beijos

iule Karalkovas . disse...

Será que falar as coisas assim dariam certo? Eu prefiro olho no olho... Adorei o texto, Vivi!
Tem um selo para você lá no meu blog... Beijos!

Nicelle Almeida disse...

Adorei o texto, minha flor!!!
Ainda bem que a atitude certa foi tomada e de fato, ela correu atras do prejuizo. Pior é quando carregamos o arrependimento e nunca tomamos coragem de dar um passo a frente. Sim, foi um ato de mta coragem.
Beijos e até a próxima.
Fico feliz que vc tenha gostado do meu blog. Aparece por lá, tem post novo.
Bom final de semana =)
www.nicellealmeida.blogspot.com

Paola Patricio disse...

Me emocionou...='
Lindoooo!!!

Bjos

Thayná disse...

Adorei o blog,perfeito *--*
Se der pra passar no meu humilde blog kkkkkkkk agradeço,bjs *- e parabéns.
http://thaynadamascena.blogspot.com/

Malu disse...

Vivian ,

Adorei o texto , ... lindo !


BjO e um Sábado de Sorrisos.

jefhcardoso disse...

E o que importa na verdade o resto de tudo quando temos coragem o suficiente para amar e professar que amamos, Vivian?

Convido-te para ler algo em http://jefhcardoso.blogspot.com

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso” (Jefhcardoso)

Bianca Bigogno disse...

Sabe aquele texto que de tão bom a gente se ajeita na cadeira? É exatamente esse. Devo admitir que neste momento meu estômago congelou. Eu já fiz isso. Eu fui embora e só. Sem explicações, sem gritos, nem brigas, só amor. Eu fui embora porque não sabia se pudia sentir esse amor todo que ele me dava. Fui covarde, fui mesmo. Mas devo admitir que hoje eu não me arrependo.

Ameeeeeei Vivian, amei! *-*

myheartfranzoca disse...

aaii que lindoo ameii estou te eseguindo me siga tbm ! beijinhoos

Fred Caju disse...

Seria melhor se não existisse nenhuma linha telefônica, mas sim os olhos nos olhos.

Postar um comentário