segunda-feira, 12 de setembro de 2011 | By: Vivian Mont'Alverne

O que se ama?

Sim, essa é mais uma daquelas delongas melosas. Ou não. Sempre há pós e contras, é assim em tudo que acontece nesse planeta. Mas é certo que, para mim, o amor continua sendo o motor do mundo, seja lá como for. O problema é, apenas, o que se ama.
Há quem ame o amor, na sua essência... Enaltece o alheio, mas tem medo de fomentar um em si. Há quem ame as pessoas. Há quem ame amar... Ama, sem medo de se perder no amor. Há quem ame bebida. Há quem ame cigarro. Há quem ame viver sua vida. Há quem ame viver a vida alheia. Há quem ame comer. Há quem ame não comer. Há quem ame dinheiro, alheio ou próprio. Há quem ame maltratar. Há quem ame fazer o bem. Há quem ame falar. Há quem ame ouvir. Há quem ame o silêncio. Há quem precise amar o silêncio. Há quem ame o poder. Há quem ame vencer. Há quem ame trabalhar. Há quem ame fazer os outros trabalharem. Há quem ame dizer que ama, mesmo não amando. Há quem ame de verdade, mas não diz. Há quem ame a vontade de amar, mas nunca amou. Há quem já amou diversas vezes, mas nunca quis. Há quem ame comprar. Há quem ame ser comprado. Há quem ame a felicidade. Há quem ame a popularidade. Há quem ame ser quem é. Há quem ame ser o que não é. Há quem ame o que o outro tem. Há quem ame o que o outro vai ter. Há quem ame quem o outro é. (...)


Uma coisa é certa: a lista é infinita... Para toda atitude, há um amor. Para todo amor, há uma atitude. Movendo o mundo, para frente ou para trás, não importa... O amor é o combustível da mudança.

2 bilhetes:

Ana disse...

Texto perfeito!

Renata Fonseca disse...

Amor por amor, ame o que há de melhor.
Demais, Vivi =)

Postar um comentário